quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Saiu-me uma espécie de poema...

Encontros Perfeitos

Um Homem. Uma mulher.
Distâncias que se matam aqui e ali.

Um dia ainda faço 300 km para estar contigo.
Aqui, junto à ria, iluminados a espaços por um farol.
Ali, junto ao mar rochoso, sob o esvoaçar das gaivotas.

Um dia chego aí e grito: ADORO-TE
Aqui nos teus braços, nos teus beijos, no teu corpo.
Ali nus no quarto, nus na cama, nus no banho.

Palavras. Enigmas. Surpresas.
Acordei, olhei para o lado e… onde estou eu? Aparece, estou perdido.
Eu encontro-te, espera por mim.
Chamas-me princesa e dou por mim num castelo.
Aqui nas muralhas, com uma vista deslumbrante e música ao fundo.
Ali ao calor da fogueira, sob um céu estrelado.

“Is it love that you want, is it love that you want, is it love that you want....”
Aqui o calor, o suor, o prazer.
Ali o suspiro, a leveza, o descanso.

Ainda apareço aí hoje. Até já.

Aqui na praia, no monte, na estrada.
Ali no sol, na chuva, no vento.

Um dia escrevo-te um poema.
Hoje é o dia.

6 comentários:

Ianita disse...

Lindo, lindo, lindo!

Profundo, marcante, sensível, romântico, envolvente, meigo.

Kisses :)

Verónica disse...

Ok, portaste-te bem, vou fazer a transferência bancária.
Kiss

Teresa disse...

Miga, tá espetacular, muito bom mesmo. Fico feliz de saber k andas inspirada, este poema diz tudo...

Raquel disse...

Ficou muito bem, desconhecia-te tal faceta :) Continua...

GG disse...

Delicioso. Muito bom.

Carla disse...

E quem não gostaria de ser o destinatário de um poema assim? (e não ficar completamente conquistado?)
;-)