quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Feliz 2009...



Também tou numa de desejar um optimo 2009, por isso, cá estou eu a dar-vos um grande fogo de artifício também com os desejos dum novo ano recheado de coisas boas :)

Feliz 2009 Bobitas e Ana

Como (quase) sempre estamos separadas nesta data, mas como sempre, estarão no meu pensamento no brinde da meia-noite.
«««
Quer faça calor, chuva ou frio. Quer a bebida de eleição seja Baileys, Caipirinha, Rum, Safari ou champagne...
««
DIVIRTAM-SE!! ;)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Tony & Teresa

Faz hoje exactamente ... 1 ano!!!! Parabéns!
««

Continuem assim, felizes.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Mais um anjo que subiu ao céu

Para ela, a minha última homenagem...



;(

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Pão Fresquinho...

Não sou a padeira de Aljubarrota
Mas com a minha nova máquina de pão, serei, quiçá, a padeira de Santa Maria...
Ah, e um Feliz Natal para todos vós!!!
Ho ho ho!

Feliz Natal

Aqui o Natal não é vermelho... nem dourado, nem prateado. Aqui o Natal é verde.

Aqui as ruas não são cobertas de luzes a piscar, aqui o Natal é iluminado pelas estrelas que se vêm como em lugar algum.

Aqui não se pedem carrinhos e bolas ao Pai Natal, aqui pede-se paz, esperança e um dia de amanhã melhor.

Aqui não se acende a lareira nem se come bolo rei, aqui abrem-se as janelas para deixar a brisa morna entrar e sai-se para a rua para comer um gelado.

Porque aqui também é Natal, mas é um Natal verde!

FELIZ NATAL

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

É Natal!!


FELIZ NATAL às Bobitas, à Ana, e a todos os que passam por este cantinho.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Já cheira a Natal... :)


sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Tá de chuva moças... :(


Pois é, o inverno ainda nem começou e eu já tou pelos cabelos deste tempinho da bába...
Quero SOL!!!!!!!!
P. S. - Alguém se digna a dar o recadinho ao S. Pedro????

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

E se eles ainda fossem vivos?




E se eles ainda fossem vivos? Será que estariam mais ou menos assim???
Já se imaginaram como vamos ser daqui por uns, laarrggoss, anos? Se quiserem exprimentar é só mandar uma foto da cara que eu trato de vos envelhecer... :-)

sábado, 29 de novembro de 2008

4 de uma assentada!

Imaginem...
Se vos calhasse 4 gemeos na rifa o que fariam???
Pois... ou chorar ou então rir, mas rir muuuiiitooo!!!!!!


Para as saudosistas do Verão!



Afinal parece que não sou a única a quem me apetece muitas vezes estar num sítio diferente ;-)


Para quem está com saudades do Verão, do calor e da praia... é só clicar aqui!
Eh!Eh! Divirtam-se e... corram!!!!


sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Oh Brá!! Não vá tão longe!!!...

Em vez das Caraíbas podias parar logo aqui. É que estas praias não estão nada mal, não senhora.

Tens aqui a Praia Formosa.
Ou S. Lourenço!!!
É só escolher, miga...

Frio

Não sei como tá o tempo por aí Carla, mas cá tá um briol. É a minha vez de dizer:

QUERO IR PARA UM LUGAR QUENTINHO!
Pode ser mesmo para as Caraíbas ;)

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Ainda as multas...

Espero que à terceira não seja de vez... mas eles andam a querer lixar-me!

Ontem cheguei a casa e o meu pai diz-me que recebeu um aviso da GNR para ir aos correios levantar uma carta. De certeza que é uma multa e só pode ser tua, visto que tu é que costumas andar fora das cidades. Se calhar não te multaram em presença e mandaram-te agora a multa. Se calhar é uma multa de velocidade... Se calhar...

Pronto. Fiquei logo stressada, já via o meu orçamento a ganir....

Hoje recebo um telefonema. É uma multa de 250 euros. Mas não é para nós... O veiculo em causa é uma mota, coisa que não temos! Lá andou o homem para trás e para a frente e lá descobriu que a dita multa é para um Pedro Gonçalves. O erro não foi nosso, mas quem vai ter de perder tempo a resolver a questão sei eu bem quem é. Viva o erro e a burocracia.
«««
Ps. Não estou a meter todos os GNR no mesmo saco, só estou a falar dos incompetentes, também os há competentes, felizmente. E sim, eu sei, todas as pessoas têm direito a se enganar. Só reclamo por ter sido afectada logo 2 vezes em tão pouco tempo.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Freddie

Lembro-me, como se fosse ontem, de receber a notícia da sua morte. Ouvia rádio, na cozinha, enquanto comia um prato de Nestum (as coisas que ficam na nossa cabeça) e não consegui conter as lágrimas. Foi há 17 anos, no dia 24 de Novembro.
Os Queen, em especial o Freddie, marcaram a minha adolescência como o melhor grupo do mundo. Tinha imensos posters deles, cassetes e discos, coleccionava cromos, até comprei bandeiras do grupo para pendurar na parede do quarto. Enfim, pode dizer-se que era uma fã dedicada.
Hoje em dia já não tenho essa "obsessão" por tudo o que diz respeito ao Freddie e aos Queen, mas há algo que se mantém: continua a ser a minha banda de eleição.
Por isso, esta data não podia passar em branco, e aqui fica a minha homenagem, dando especial destaque a uma das minhas músicas preferidas do Freddie. Espero que gostem, tanto como eu...






sábado, 22 de novembro de 2008

Para a Teresa


Como diria o outro: "E esta hein?!".
Pois é Teresa, o Cú de Judas existe e é aí para a tua zona, na ilha de São Miguel.
No caminho do Arrasto e antes de chegar a Paupique!
Já sabes, quando não souberes o que fazer no fim de semana...

Cá eu...

Era mesmo na Polinésia Francesa...
Sim, e como é mesmo o meu destino de sonho e agora não tenho quaisquer hipóteses de lá ir, até já me dei ao trabalho de ver quais seriam os preços daqui a vinte anos... e não é que os gajos não têm os preçários para essa altura????
Fiquei chateada, claro está!!!!! Como é que eu vou saber quanto vou ter de despender para lá ir passar umas "vacances"??? Alguém me explica pá?????

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Hoje estava bem era nas Maldivas

Ah pois é... hoje bem que podia estar nas Maldivas, aliás hoje podia ser a minha última hipótese de estar nas Maldivas.
Devido às alterações climatéricas o país constituído por muitas centenas de ilhas e atóis, cujo ponto mais alto está apenas 2 mts acima do nível do mar, corre sérios riscos de desaparecer nos próximos tempos.
O recém eleito presidente tem como principal tarefa descobrir o novo sítio para instalar o país, Sri Lanka, India e Austrália são já três hipóteses em cima da mesa.
Por isso eu hoje estava bem era nas Maldivas... enquanto é feita de areia branca, mar azul e muitas palmeiras! Daqui por uns tempos pode ser feita de vacas sagradas ou cangurus...

Fez-se luz!!

Depois de ter andado quase três meses com a cabeleira aloirada, tive o bom senso de voltar a pintar o cabelo da minha côr original, castanho escuro.
Devo dizer que sinto-me muito melhor. Andava com uns sintomas estranhos de estupidez aguda, mas felizmente fez-se luz, mal deixei de estar loira.
Os meus olhos voltaram a brilhar, a vida voltou a sorrir, os meus neurónios voltaram a trabalhar, estou como nova, é incrível como o facto de estar morena é revitalizante para a minha personalidade.

E para acabar em grande, uma piadinha sobre loiras, daquelas, como hei de dizer??? Ah, sim , extremamente burras ;P

Multa... quase

Ontem apanhei um susto valente...
Fui mandada parar e como o meu carro é de 13 de Novembro e ainda não fui à inspeção, o GNR comunicou-me, com toda a popa e circunstância, que ia ser autuada em 250 euros.
"Quer pagar já por multibanco, cheque ou dinheiro ou paga depois?"
"Pago depois."
«««
Afinal o meu livrete é dos antigos e só a partir da próxima inspeção é que já sou abrangida pela nova lei que determina que a inspecção tem de ser feita até ao dia em que o carro foi registado e não até ao final desse mês (acho que é esta a explicação correcta, estava tão abananada que não sei se percebi bem).
«««
Ufa... não ganhei para o susto. Menos mal, porque entretanto vou ter de entrar em despesas com uns pneus novos.
«««
O negócio das multas é extremamente lucrativo, reparem só nestes números.
«««
"O Estado arrecadou 58,4 milhões de euros, entre Janeiro e Setembro deste ano, em multas do Código da Estrada, mostram os números mais recentes da Direcção-Geral do Orçamento."
«««
"Na proposta de Orçamento do Estado para 2009, o Governo espera arrecadar 97,4 milhões de euros em multas do Código da Estrada, o que equivale a uma entrada diária de quase 267 milhões de euros nos cofres do Estado."
«««
O artigo completo aqui.
««««
Em duas palavras: IM PRESSIONANTE!

Impressão Digital

Os meus olhos são uns olhos,
e é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos,
onde outros, com outros olhos,
não vêem escolhos nenhuns.

Quem diz escolhos, diz flores!
De tudo o mesmo se diz!
Onde uns vêem luto e dores,
uns outros descobrem cores
do mais formoso matiz.

Pelas ruas e estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros gnomos e fadas
num halo resplandecente!!

Inútil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos!
Onde Sancho vê moinhos,
D.Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos!
Vê gigantes? São gigantes!

António Gedeão
__________________________

O carácter humano, de humano tem muito pouco...
E quando assim é, mais palavras para quê??

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Gajas.... lol

-Olá amor! (ela)
- Olá! (ele)
- Trabalhaste muito?
- Sim.
- Tas cansado?
- Um pouco.
- Toma um banho!
- Vou já... preciso de sair.......
- Ah!... Vais sair?
- Vou dar uma volta.
- Sozinho?
- É... sozinho.
- Vais aonde?
- Por aí.
- Sozinho?
- Sim.
- De certeza?
- Sim.
- Queres que eu vá contigo?
- Não... deixa lá... prefiro ir sozinho.
- Vais sozinho andar pela cidade?
- Vou.
- De carro?
- Sim.
- Vais demorar?
- Não... para ai uma hora.
- Vais a algum lugar específico?
- Não... só andar por aí.
- Não preferes ir a pé?
- Não... vou de carro.
- Traz um gelado para mim!
- Trago... que sabor?
- Chocolate.
- Ok... na volta eu passo e compro.
- Na volta?
- Sim... senão derrete.
- Passas lá, compras e deixas aqui.
- Não... é melhor não! Na volta... é rápido!
- Ahhhhh!
- Ok! Beijo... volto logo...
- Ei!
- O que é?
- Chocolate não.... Manga...
- Não gosto de Manga!
- Então traz de manga para mim e o que quiseres para ti.
- Ok! Vou indo.
- Vem aqui dar-me um beijo de despedida!
- Querida! Eu volto já... depois.
- Depois não... quero agora!
- Está bem! (Beijo.)
- Vais com o teu ou com o meu carro?
- Com o meu.
- Vai com o meu... tem leitor de CDs... o teu não!
- Não vou ouvir música... vou espairecer...
- Estás a precisar?
- Não sei... vou ver quando sair!
- Não demores!
- É rápido... (Abre a porta de casa.)
- Ei!
- Que foi agora?
- Pronto, malcriado! Vai embora!
- Calma... estou a tentar sair e não consigo!
- Porque queres ir sozinho? Vais encontrar alguém?
- O que queres dizer?
- Nada... !
- Olha lá... achas que te estou a trair?
- Não... claro que não... mas sabes como é...
- Como é o quê?
- Homens!
- Generalizando ou falando de mim?
- Generalizando.
- Então não é meu caso... sabes que eu não faria isso!
- Está bem... então vai.
- Vou.
- Ei!
- Que foi, porra?
- Leva o telemóvel, estúpido!
- Para quê? Para me ligares?
- Não... caso aconteça alguma coisa, tens o telemóvel.
- Não... deixa lá...
- Olha... desculpa pela desconfiança... estou com saudades... só isso!
- Ok meu amor... Desculpa-me se fui chato. Tá.. Eu amo-te!
- Eu também! Posso mexer no teu telemóvel?
- Para quê?
- Sei lá! Joguinhos!
- Vais jogar com o meu telemóvel?
- Vou.
- De certeza?
- Está.. ok.... então leva o telemóvel senão eu vou mexer...
- Podes mexer à vontade... não tem lá nada...
- Ai é?
- É.
- Então onde está?
- O quê?
- O que deveria estar no telemóvel mas não está...
- Como!?
- Nada! Esquece!
- Estás nervosa?
- Não... não estou...
- Então vou!
- Ei!
- Que ééééééé?
- Afinal não quero gelado!
- Ah é?
- É!
- Então porra, afinal também não vou sair!
- Ah é?
- É.
-Que bom! Vais ficar aqui comigo?
- Não.... estou cansado... vou dormir!
- Preferes dormir a ficar comigo?
- Não... vou dormir, só isso!
- Estás nervoso?
- Claro, porra!!!
- Porque é que não vais dar uma volta para espairecer?

Eu estava bem era no Alentejo!

Nasci no Alentejo, mas nunca me senti realmente alentejana. Vivi no Algarve mas também nunca me senti realmente algarvia.
Estou em África mas nunca serei africana.
Há dias em que não sabemos bem onde queríamos estar, mas hoje apetecia-me estar no alentejo, deu-me esta vontade de estar num cantinho ensolarado, sentada debaixo da sombra de uma árvore com um cesto de laranjas ao lado. A comer uma laranja daquelas bem doces descascada com uma navalha bem afiada e ouvir o silêncio. Sentir a felicidade de não ter nada que fazer e preocupar-me apenas com a hora da sesta.
É isso. Hoje estava bem era no Alentejo. Amanhã já não sei onde gostava de estar, mas hoje sei.

Quem serão os três?

Voltei. Não foi de França, mas foi quase. Não estive em lado nenhum mas também não estive aqui. Mas voltei.

Quando se está longe de Portugal sentimos muitas vezes que estamos a perder a noção das coisas que se passam por lá, mais grave ainda quando estamos longe e não temos acesso a uma série de coisas a que nos habituamos durante anos e para mim uma grande falta são as revistas.
Não há nada como a revista que pomos na mala e nos faz companhia num café solitário pela manhã, a que levamos para a praia para para se encher de areia e nódoas da bola de Berlim, a que temos na mesa de cabeceira para as noites de insónia, aquela que guardamos para recortar aquela receita que nunca sai como na fotografia ou simplesmente as que empilhamos na sala com pena de deitar fora.
Como por estes lados as revistas escasseiam temos sempre a internet, sim eu sei, definitavamente não é a mesma coisa mas sempre dá para desenrascar. Hoje ao desfolhar, perdão, ao clicar na Visão online eis o que aparece no título de uma entrevista "Há para aí três pessoas cultas em Portugal" (?!?), esta frase é de Maria Filomena Mónica, socióloga, professora universitária e investigadora...
Bom, é caso para eu dizer: - Ufa! Ainda bem que não estou em Portugal!
E passo a explicar, seria muita sorte que no meito de milhões de portugueses calhar a ser uma das três pessoas cultas e pelo menos na Guiné ,apesar de não ter revistas para ler, ainda posso ter algumas hipóteses de ser uma pessoa culta, bom ou pelo menos um bocadinho culta, isto porque por estes lados ainda não se fizeram estudos sociologicos destes :-)

Quanto a quem está em portugal, pelos visto só resta mesmo descobrir quem serão os três???

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Jamie Oliver

De todos os seus programas de culinária, "Jamie at Home" é, sem dúvida, o melhor. O que há de diferente, em relação aos outros? O lugar onde é filmado: a sua casa de campo, no Essex. Um sítio mágico, uma casa rústica, um jardim cheio de flores, legumes e vegetais, onde galinhas gordinhas passeam livremente.
E o melhor, claro, as suas receitas!!!
Tudo o que o Jamie Oliver faz é original, e muito provavelmente, delicioso. Infelizmente, não disponho de todos os produtos mencionados nas suas receitas, o que me impede de fazer "magia", por aqui. Mas hoje essa "magia" aconteceu, e o resultado foi um magnífico prato de "cannelonni recheados com bróculos e couve flor".
Estavam deliciosos, apesar de não ter seguido a receita à risca, é que comida picante não é comigo, não senhor, e aquela receita abusava no piri piri, chiça!
E agora, com as séries completas do Jamie, vai ser só fazer coisinhas boas cá em casa, e o maridinho agradece!!! Ih ih ih

Mudanças

Agora que mudei de posição no local de trabalho, já posso ouvir rádio o dia todo :) E o que se ouve na rádio... hoje a manhã ficou-me marcada pelo Simply the Best da Tina.



Agora só me falta trazer umas colunas para o computador :)

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Parabéns Mickey


sábado, 15 de novembro de 2008

Mais uma...

Por falar em discos pedidos... fartei-me de rir com uma recordação...

Entra em linha...
Diz a frase....

- E o que é que quer ouvir?
- Eu quero ouvir Iron Maiden...
-Dino Meira?
- Não, Iron Maiden...!!!
- Então vamos lá, segue uma bela música do Dino Meira!!!!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Discos pedidos

-Então e a frase, diga lá a frase?!
-Hum... "Nos armazéns do Beato, compre tudo mais barato."
-Muito bem, e o que quer ouvir?
-Maroon 5, Wake up call!
-If it makes you happy...

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Mais um, adoro estes videos com gatinhos

Obrigada pelo mail Ana.

Promessa :P

Não estão ao abandono meus amores, só ando mesmo é sem tempo!!!! :)
Mas vou tentar dedicar-me um pouco mais à blogosfera, prometo e espero cumprir...!!!!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

É prá menina e pró menino...

Bem Teresa, o blog tá entregue a nós, as outras bobitas esfumaram-se... Nem sabem o que perdem!

Espreita aqui miga e vai clicando.

P.s. Bigada pela dica Ana, podes deliciar-te outra vez ;)

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Mistério...


Mas afinal o que é:

Bromopatasona???

Glimificatona??

E Tranatranita??


Estou desconfiada que a última é o nome de uma canção:


"Tranatranita, trana, trana, tranatranita, trana......"

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Pequeno Almoço

Durante anos o leite fez parte do meu pequeno almoço, simples, com café, com chocolate, com cereais, magro, meio gordo, de vaca, de soja... E gostava de leite, apesar de nem sempre o leite gostar de mim. Por vezes caía-me mal, deixava-me mal disposta. Mas eu continuava a bebê-lo.
E essa má disposição em relação ao leite começou a ser cada vez mais frequente, até que deixei MESMO de consumi-lo e a certos derivados, como iogurtes e queijo fresco.
O meu pequeno almoço passou a ser uma torrada com um copo de água, ou uma torrada com um copo de ice tea, ou uma torrada... às secas!!! Tinha que arranjar uma solução mais saudável e nutritiva, mas o quê???

E fez-se luz!!!! Sumo de cenoura com maçã e aipo! Comecei a dar mais uso a minha máquina de sumos e ela agora não pára. Ele é sumo de cenoura com maçã e aipo ao Pequeno Almoço, ele é ao lanche, ele é ao deitar, e sabem uma coisa? Faz-me sentir às mil maravilhas, experimentem, pá!!!! É DELICIOSO!!!!!!!!

Lista de compras

Um Inglês, a viver em Portugal, ia fazendo um esforço para dizer umas coisas em Português. Foi ao supermercado e fez a seguinte lista:
(ler devagar, em português, para perceber)

- Pay she
- MacCaron
- My on easy
- All face
- Car need boy (may you kill oh!)
- Spar get
- Her villas
- Key jo (parm soon)
- Cow view floor
- Pee men too
- Better hab
- Lee moon
- Bear in gel

Ao chegar a casa, bateu com a mão na testa e disse:

- Food ace! Is key see me do too much! Put a keep are you!

Novo Visual

Queridas mudei o blog!!!!

Se não gostarem, estejam à vontade para mudar, aliás, neste link (dica da Ana) existem muitas opções. Podem surprender à vontade ;)

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Conselho do dia...

NÃO PIRILAMPARÁS A MULHER ALHEIA!!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Até já

Naquele instante em que o lusco-fusco se começou a mostrar, o teu destino selou-se.
Ninguém descobriu o que se passou, acho que ficamos por aqui, disse.
E estas palavras, estas simples palavras, naquele instante, mudaram a tua vida. Não quero que penses que desisti de ti, mas sinto-me impotente, inválida, inútil, incapaz de te ajudar.
A primeira vez que percebi que algo te tinha acontecido foi a última vez que te despediste de mim. Ao meu adeus respondeste “nunca digas adeus, um até já soa muito melhor”. Foram as últimas palavras que pronunciaste, ali, naquele instante, iniciaste a tua viagem. Agora nada mais és do que um corpo despido de alma.

O que te fizeram? Quem te feriu? Ou será que o partir foi apenas escolha tua? Este mundo não era suficiente para ti, tiveste de ir conhecer outros mundos?
Ninguém descobriu o que se passou…
Ninguém descobriu o que se passou…
Ninguém descobriu o que se passou…
Estas palavras ecoam na minha cabeça, perseguem-me.

Estarás ausente para sempre, durante anos, meses, dias, horas, ou, daqui a uns minutos, quando eu sair deste lugar, voltarás a ti?

Estou infinitamente triste, preciso de ti, do tempo que passamos a construir mundos apoiados somente em palavras.
Se estivesses aqui dir-me-ias que não existe presente ou futuro, apenas passado. E nós teremos sempre o nosso.

Neste instante, já noite, em que saio do hospício, eu sei, restam-nos as palavras, sempre as palavras.
«

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Peripécias da juventude

Estávamos no mês de Dezembro, com os nossos 16 anos e com todas as certezas que a idade nos permitia, mete-mo-nos numa das maiores aventuras das nossas vidas.
O objectivo era somente fazer as compras de Natal. Algum dinheiro cada uma e umas notas estrangeiras, das quais não fazíamos a menor ideia do valor.
Não foi um dia qualquer, foi exactamente numa sexta feira à noite, dirigi-mo-nos a uma caixa de câmbios... primeira nota e saíram muitas notas, ainda em escudos, mais uma nota e parecia que cada vez saiam mais, outra e... ups, aconteceu de novo! Vezes sem conta, tantas quantas as notas que tínhamos.
Completamente incrédulas, mas com uma felicidade óbvia, estávamos prontas para as ditas compras.
Naquela manhã fria de inverno, era ainda escuro, junta-mo-nos para dar partida rumo a Espanha. Duas motitas, três raparigas... decidimos então distribuir-nos assim, eu sozinha na minha mota, e elas duas na outra.
Decidi ir eu na frente, de modo a não dar avanço, mal eu sonhava...
Depois de apenas cerca de 7 ou 8 km's, a minha mota decidiu, como que por vontade própria,parar, simplesmente parar! Não tive reacção inicialmente para buzinar, tentei acelerar, ver no que dava. Mas ela parou mesmo, e já as outras iam bastante à frente. Disto é que eu não estava mesmo à espera....
Telemóveis??? Não, nada disso, ainda não estávamos nessa geração...
Na berma duma nacional, sozinha, ainda noite, com um frio característico de Dezembro.. ali estava eu, somente confiante que iam dar pela minha falta, nem que fosse pelo facto das malas todas e com o respectivo dinheiro, estarem comigo, guardadas na minha mota.
Pensei... pelo menos para Espanha não vão, não têm documentos, não têm dinheiro...restava-me esperar, somente!
Esperei bastante tempo, não posso precisar, pois para ajudar, não tinha relógio, mas acabou mesmo por amanhecer, o sol subiu e nada delas...
Entretanto, uns bons quilómetros mais à frente, e por causa do frio, decidiram parar. Foi quando se aperceberam que estavam sozinhas, ou melhor, que eu não estava! Esperaram, choraram, até que decidiram voltar para trás. Pararam em todos os cafés abertos por que passaram, a perguntar se tinham visto uma rapariga assim e assado... nada, ninguém tinha visto nada!
Muito tempo depois, já lavadas em lágrimas e convencidas que me iam encontrar numa valeta qualquer, lá estava eu, sentada em cima da mota, à espera!
Como até aí a aventura tinha sido pouca, lá decidimos ligar para um táxi e ir mesmo de táxi. As motas ficaram encostadas num qualquer sitio daquela estrada nacional, e lá fomos nós.
Compramos tudo o que nos apeteceu, uma manhã de verdadeira festa, até nos esquecemos da parte inicial da aventura, até que decidimos parar, já tínhamos fome e pensamos ir comer, tomar o pequeno almoço.
Pedimos o que nos apeteceu, comemos, bebemos.... Até que uma delas me pergunta pelo dinheiro, pensando que eu, como sempre a mais responsável, tinha guardado algum de reserva.
respondi que não tinha já nada comigo, afinal não era meu, e assim que o distribui quando chegamos a Espanha, entreguei tudo!
Agora sim, só nos faltava esta... não tínhamos dinheiro para pagar o pequeno almoço, quanto mais para voltar para casa, estava ali uma coisa esperta!
Havia uma senhora numa máquina de jogos, e nós a ver que de vez em quando lá caiam umas moedinhas... mas nós, nenhuma fazia ideia do que fazer com aquela máquina, mas no nosso "Espanholês", e com as poucas pesetas que nos restavam, decidimos entregar à dita senhora para que ela apostasse o nosso pouco dinheiro.
Por incrível que pareça, a sorte foi tanta, que conseguimos pagar o pequeno almoço e ainda voltar de táxi para casa, tal não foi o que a senhora ganhou!
Escusado será dizer que o facto da mota ter ficado avariada exactamente na direcção contrária àquela em que era susposto ter-mo-nos dirigido naquela manhã, fez com que tivessemos, logo naquela dia, ter de contar parte da aventura... levamos nas orelhas, claro está, mas felizmente correu tudo bem, dentro dos dissabores...

Ainda hoje falamos nesta aventura, e todas elas dizem que ninguém acredita quando a contam, mas só mesmo nós as três sabemos bem o que foi aquela manhã de Dezembro...

Memória

A memória, isso sim, teremos sempre a memória...

Olho para trás...Vejo o teu rosto, enrugado pela força do tempo, as mãos que outrora brincaram de foge-foge, uma madeixa de cabelo alvo a cair sobre a testa, cabelo que um dia foi estrategicamente apanhado num perfeito carrapito, mas hoje não, já não há força sequer para viver, quanto mais para vaidades.
-Despede-te dela...
-Não consigo, já te disse que isso nunca farei!!

Ontem, uns olhos doces e cansados, transparecendo todo o sofrimento de uma vida. Hoje, perdidos, vazios, prestes a cair num abismo.
Vejo-te, mas já não estás aqui. Agarro-me à tua imagem, mas ela parece fugir-me entre os dedos... e voa, rodopia sem parar, o vento não ajuda e já não se consegue alcançar.
Acordo e já não te vejo. Acabou.
Não houve despedida, mas ficou a memória.
Ficará para sempre. Adeus.

sábado, 1 de novembro de 2008

Quase que me esquecia...

Pois, quase que me esquecia da nossa prenda!
Um fantástico fim de semana neste sítio! Ãh... que vos parece??? Já mandei preparar as 4 cadeiras e tudo!

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Parabéns Bobitas

scraps para orkut

1 Anito

Parabéns Bobitas! Um ano já cá canta!
«

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Cancro da mama

E porque hoje se assinada o dia mundial contra o cancro da mama, e este blog às vezes também fala de coisas sérias.... não podia deixar de lembrar esta data.

Mais um desafio!

Só mais um, só mais um, só mais um!!!!!
A multidão entoa em coro um apelo a mais um desafio...

Houve alguém que disse um dia que a escrita é uma das formas mais eficazes de estimular a memória e a imaginação, então e na continuação dos ultimos desafios, lembrei-me de um jogo que faziamos nas aulas de português algures num passado escolar longíquo...

Das frases abaixo, cada uma pode escolher três a partir das quais terá de construir uma história ou qualquer coisa que se assemelhe, vale tudo: da pimenta ao açucar, da acidez ao salgado!

(Não se podem escolher frases repetidas para isso basta ir ao "editar mensagens" e indicar com uma cor e o vosso nome quais as 3 escolhas que fizeram)

. Era mesmo pequenina, acho que nunca vira algo assim. Carla
. Realmente é a mais pura verdade, sem dúvida.
. Restam-nos as palavras, sempre as palavras. Verónica
. Revolução?? Nem penses, eu não sou desses(as).
. Nunca digas adeus, um até já soa muito melhor. Verónica
. Baralhada, troca as chaves sem notar que algo se aproximava.
. Esquisita, amarela e viscosa.
. Nem penses nisso... achas que vim até aqui para nada? Carla
. A memória, isso sim, sempre teremos a memória. Teresa
. Disto é que eu não estava mesmo à espera! Raquel
. Não consigo, já te disse que isso nunca farei. Teresa
. Raios parta isso. Já nem pernas tem, para que serve agora? Carla
. Ups, aconteceu de novo! Raquel
. Não foi num dia qualquer, foi exactamente numa sexta feira de noite. Raquel
. Não, não e não!
. Rodopia sem parar, o vento não ajuda e já não se consegue alcançar. Teresa
. Eh lá! Já viram isto?
. Ninguém descobriu o que se passou, acho que ficamos por aqui. Verónica
. Sentados numa varanda.
. Sim era comprido, parecia mesmo que se mexia.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

1º Aniversário


Minhas queridas Bobitas, o nosso blog vai fazer um ano no dia 31 de Outubro e proponho que comemoremos com uma grande festa. Como não podemos estar juntas, a ideia que tive é a seguinte:

Cada uma vai "enfeitar" o blog à sua maneira, editando imagens, publicando postagens, sem esquecer que também nesse dia festeja-se o Halloween; será por isso uma mistura explosiva de serpentinas, balões e abóboras de sorrisos rasgados!!!

sábado, 25 de outubro de 2008

Parece que só falta o meu desafio... Mas ainda não será hoje! Perdoem-me os participantes mas vou atrasar um pouquinho o meu desafio, valores mais altos se levantam... Tenho umas mini mini férias para gozar :-)
Mas entretanto deixo-vos aqui um passatempo, algo com que se entreterem no fim de semana.



Então é assim: estas frases foram ditas (na sua maioria) por celebridades num determinado momento.
Resta então adivinhar por quem foram ditas????

Bom, parece que ninguém adivinhou... Estamos com os níveis de cultura geral um pouco em baixo meninas! Era assim tão fácil:
;-)

1 - Vamos por partes. Jack, o estripador
2 - A minha esposa tem um bom físico. Albert Einsten
3 - Eu comecei por roer as unhas. Vénus de Milo
4 - Nunca pude estudar Direito. O corcunda de Notre dame
5 - Sempre quis ser o primeiro. João Paulo II
6 - Quando te foste deixaste-me um sabor amargo na boca. Monica Lewinski
7 - Não ao derramamento de sangue!!! Tampax
8 - Tenho um nó na garganta. Um enforcado
9 - A minha noiva é uma cadela! Pluto
10 - És a única mulher da minha vida! Adão
11 - Levantarei os caidos e oprimirei os grandes! Um soutien
12 - Incomodam-me as pessoas que não dão a cara. Um anónimo

Diz que é uma espécie de poema....

Hoje decidi partilhar convosco uns poemas que escrevi em Faro...



Saudade (1999)

A saudade é imensa
Por tua ausência na minha vida
Por favor fala comigo
Não aguento mais ficar esquecida
Eu gostava de estar contigo
E dizer amo-te muito
Sentir o teu corpo junto ao meu
Durante um eterno minuto
Não sei o que se passa comigo
Tudo parece não mais fazer sentido
Desde o dia que te conheci
O mundo todo ficou esquecido
Há dias em que o vento sopra veloz
Como meu coração bate, esperando por ti
Há dias em que a tempestade é tão forte
Que não sei mais quando te vi
Porque oiço a tua voz suave
Baixinho, dizendo-me ao ouvido
- Meu amor, meu amor... sem ti nada faz sentido!
Talvez seja o que eu quero ouvir
Para voltar de novo a sorrir
A angustia é permanente
Por pensar que me estás a mentir


Solidão (1998)

Sentimento que me corrói
Que me desola a alma
Que me queima por dentro
Que me doí

A vida não tem sentido
Vivo apenas por viver
Nos pensamentos que me acordam
E me impedem de te esquecer

Sonhei um dia ser feliz
Sensação que me fez corar
Amar um dia, pensei ser possível
Hoje resta-me apenas recordar

Quando se julga um novo amor surgir
Acorda-se logo, vendo não ser verdade
Serei eu merecedora de algo
Que não seja somente saudade

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Apenas uma noite

Temos o tempo todo que precisamos, sussura ela ao ouvido...
Temos uma noite.

Brincámos de desmanchar e de recomeçar, eu e ele numa dança sem ensaios, até ao cair do pano. Fizemos descer as estrelas até que tocassem a cidade aos nossos pés. Percorremos caminhos íntimos devagarinho, partilhámos em silêncio as expectativas acumuladas de tempos passados, fixámos os olhares que tantas vezes se haviam apenas cruzado.
Esta noite ficámos um em segredo, fizemos calar o pecado. Fizemos uma noite de corpo, de pele, de tempo.
Esta noite a paixão morou aqui.
Esta noite matámos o cupido.

Gostava de te ter à espera num sítio qualquer, sussura ele ao ouvido...
Tivemos uma noite.

Parabéns

Com um bocadinho de atraso (da Guiné aos Açores são muitos kms...) os meus parabéns e como não há correios que funcionem nesta terra a minha prenda tem de ser virtual.
Daqui para aí... um abraço deste tamanho:


GRANDE!!!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Parabéns bobita!!!!!!


Recados e Imagens - Feliz Aniversário - Orkut

Recados, Gifs e Imagens no Glimboo.com



E sai uma dose de PARABÉNS, bem servida à bobita Teresa :)
Miga, uma beijoca muito, muito "gande" aqui do "contnente"....

Feliz Aniversário


Mafalda: Não sei como somos amigas, somos tão diferentes.
Susanita: É verdade. Mas se é para aturar alguém, prefiro aturar-te a ti do que a qualquer outra pessoa.
Mafalda: Eu também. (Abraçam-se)
«
Tenho a certeza que te lembras desta tira. Não somos assim tão diferentes, até somos muito parecidas, fora alguns gostos duvidosos da tua parte... LOL
E se é para aturar alguém, que sejas tu!!
«
MUUUUUUUUUITOS PARABÉNS!!
«
P.s. Espero que a minha prenda chegue hoje ;)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Saiu-me uma espécie de poema...

Encontros Perfeitos

Um Homem. Uma mulher.
Distâncias que se matam aqui e ali.

Um dia ainda faço 300 km para estar contigo.
Aqui, junto à ria, iluminados a espaços por um farol.
Ali, junto ao mar rochoso, sob o esvoaçar das gaivotas.

Um dia chego aí e grito: ADORO-TE
Aqui nos teus braços, nos teus beijos, no teu corpo.
Ali nus no quarto, nus na cama, nus no banho.

Palavras. Enigmas. Surpresas.
Acordei, olhei para o lado e… onde estou eu? Aparece, estou perdido.
Eu encontro-te, espera por mim.
Chamas-me princesa e dou por mim num castelo.
Aqui nas muralhas, com uma vista deslumbrante e música ao fundo.
Ali ao calor da fogueira, sob um céu estrelado.

“Is it love that you want, is it love that you want, is it love that you want....”
Aqui o calor, o suor, o prazer.
Ali o suspiro, a leveza, o descanso.

Ainda apareço aí hoje. Até já.

Aqui na praia, no monte, na estrada.
Ali no sol, na chuva, no vento.

Um dia escrevo-te um poema.
Hoje é o dia.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Se fosse uma música romântica, qual seria?

E deu-me isto....

"Você é “You´re Beautiful” de James Blunt:(que eu até gosto, só mesmo por acaso)

Você é dado a amores platónicos como os que se vêem nos livros. Tem uma tendência irresistível para amores impossíveis e para perpetuar paixões mantidas em segredo pela sua timidez e insegurança.

You're beautiful.
You're beautiful.
You're beautiful, it's true.
I saw your face in a crowded place,
And I don't know what to do,'
Cause I'll never be with you.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Playstation Portable


QUANDO É QUE ELA CHEGA? QUANDO? MAS QUANDO??????????? Malditos CTT, para os Açores tudo demora anos a chegar!!!!!!!!!!!!!!

Não lhe bastava ser primeiro ministro??


domingo, 19 de outubro de 2008

C.S.I. Cuba sob Investigação

Antes de dar início ao meu conto "picante" devo acrescentar que é uma história fictícia, saída directamente da minha cabeça para o papel, e passada a limpo no blog. Deixei vir ao de cima a minha veia de romancista de livros de quiosque, estilo Bianca, Sabrina e etc e tal. Esta é também uma homenagem aos contos de antigamente, às noitadas de antigamente, com a minha amiga de antigamente e de sempre. Aqui vai, o mais picante que se pôde arranjar:
______________________________________________________
Naquela noite, ela estava particularmente bonita, não exagero se disser que estava deslumbrante. Ao entrar na sala, não houve uma só pessoa que não reparasse no brilho cintilante que transportava. Mas na sua cabeça pairava apenas uma pergunta: "Será que ele vem?" De repente, sentiu alguém a aproximar-se; virou-se e viu chegar a sua amiga, que assim como ela, tinha desviado bastantes olhares na sua direcção.
-Estás por demais, amiga! UAU!!-diz a primeira.
-Tu também! Mas diz-me, os nossos alvos já chegaram?
-Alvos?? Eu é que estou a sentir-me um alvo, estou super nervosa. Será que eles vêm? Será que ELE vem??
-Calma, sua galinha! Claro que vêm, estamos cá nós, não estamos? Isso é suficiente...
Misturaram-se com o resto dos convidados para não atrair mais atenções, porque tinham que manter o disfarce até descobrirem quem eram, realmente, aqueles dois homens que andavam a investigar desde que tinham chegado a Cuba.
A ideia de meter o nariz em tudo (principalmente nos casos mais bicudos) tinha surgido por puro divertimente, mas hoje em dia faziam-no a sério, desencantando grandes fortunas em cada caso resolvido. Estes dois homens eram suspeitos de fraude fiscal, e assim que elas conseguissem as provas que faltavam para a resolução do caso, iam receber uma pipa de massa pela recompensa da captura.
Mas esta investigação corria o risco de dar para o torto, uma vez que uma delas, a primeira, tinha ficado pelo beicinho por um dos "alvos". E quando eles chegaram à sala, minutos depois, a primeira agarrou-se à outra e berra-lhe ao ouvido, histérica:
-Não sei se esta investigação chega ao fim sem me jogar a ele!!
-Ouve bem, joga-te a ele quando acabarmos, agora CONCENTRA-TE!
-Ok, ok, mas se eu não conseguir conter-me, tu agarra-me!!
-Olha, eu vou beber qualquer coisa, e tu devias vir também, precisas de algo gelado para arrefeceres as ideias...
Mas a primeira não foi, ficou ali encostada à parede, a controlar. E a segunda dirigiu-se até ao bar no intuito de emborcar uma Cuba Libre, enquanto um dos "alvos" a seguia com o olhar penetrante e posteriormente com as pernas musculadas de macho latino.
-Usted está mui guapa! Quieres bailar??
-Yo? No sié dianciar mui bien! Si calhar es mejor não!-respondeu a segunda com um péssimo sotaque espanhol.
-Entonces puedo pagar-te una bebida?
-Ah! Por supuesto! Puedié sier outria Cuba Librié! Gracias.
E enquanto saboreava a sua Cuba Libre, olhava sorrateiramente para o seu "alvo" de alto a baixo, e lembrava-se das palavras da amiga, concordando intimamente que talvez não conseguisse acabar a investigação sem por as manápulas naquele peito musculado e peludo, só para ter a certeza que era mesmo real.
Entretanto, de volta à sala, a primeira continuava encostada à parede, olhos cravados no seu "alvo", com o coração a querer sair-lhe do peito, as unhas a espetarem-se-lhe pelas mãos adentro, uma autêntica bomba relógio. Respirou fundo, recompôs-se e saíu da sala. O "alvo" foi atrás dela. Subiu até ao último andar do hotel, dirigiu-se à varanda, onde pode ver um céu coberto de estrelas, sem uma nuvem sequer. Apesar das noites cálidas cubanas sentiu um arrepio na espinha. Frio? Ou um vislumbre do que estava para acontecer ali, no último andar daquele hotel, no coração de Varadero?
Antes de se virar, já sabia que ele estava ali, a escassos milímetros de distância. E cedendo a uma paixão que fervilhava dentro de si, deixou-se levar. Beijaram-se apaixonadamente, enquanto rebolavam naquele chão vermelho e quente da varanda. Quando ele tentou algo mais (tirar-lhe o vestido à dentada, para ser exacta), ela teve uma epifania e disse:
-NÃO!!
-Não? Porque não?
-Porque...porque...porque eu sou...sou...
-Tu és...o quê?
-Eu...sou virgem!?!
-És o quê??
-É isso! Sou virgem, quase por estrear!É verdade, ando a guardar-me para o casamento, desculpa lá!
-Virgem? Tu?
-O que foi? Não acreditas??
-Não!!
-Ah!! Nunca fui tão insultada na minha vida! Estúpido! Vou-me embora, adeus.
E foi. Deixando-o ali, sozinho e abananado, a precisar de um banho de água fria. Desceu as escadas a correr, quase aos trambolhões, e ainda mal acreditava no que acabara de fazer. No fundo, estava orgulhosa de si mesma, por ter resistido, mas teriam que abortar a investigação naquele momento e voar de Varadero o mais rápido possível.
Entrou na sala ofegante, à procura da amiga, que dançava com o outro "alvo", enquanto este lhe massacrava os pés pela enésima vez. Correu até ela, e sem dizer uma palavra, puxou-a por um braço até ao hall de entrada do hotel.
-Vamos embora, JÁ! A missão falhou.
A segunda não precisou de ouvir mais nada, mas o raspanete ficava guardado para quando estivessem em segurança.
Já no helicóptero, com as orelhas a arder de tanto ouvir o dito raspanete, olhou, uma última vez para a varanda do hotel onde havia estado há uma hora atrás. Pode não ser hoje, pode não ser amanhã, mas algum dia será...

É pró menino e prá menina!!

Recebi mais um daqueles mail fantásticos... com tantos FwFwFw colados ao título que nem conseguimos perceber do que é que se trata até abrir a dita mensagem.
Afinal o título (logo após os fws) era o seguinte: Top 10 homens para 2009!

Com tantos fws deu para perceber que a lista foi aprovada e muuuiitto divulgada pelas meninas e pelos meninos também ;-)


Então... aqui fica uma pequena inspiração para o desafio da Raquel
;-)

Era uma vez...

... ou melhor dizendo, foi uma certa vez que nos cruzamos quase por acaso.
Nada acontece por acaso disse ele...
Deste um ar de desinteressada, de uma altivez disfarçada. É certo que não foi por acaso que notei a tua presença, trazias no olhar um pedido mudo de ajuda, como te poderia ignorar? Voltaste a partir para regressar uma segunda e uma terceira vez.
Porque é que resistes? Pergunta ele...
Parecias faminta de tudo, faminta de afectos, faminta de atenção, faminta de um espaço. Envolvi-me. Deixei que entrasses num mundo que não era teu e do qual te foste apoderando, cativando quem nele habitava antes de ti. Conquista feita, permaneceste, foste ficando.
Gostas mais dela do que de mim, disse ele...
"Onde estás?" "Porque vais?" "Fica aqui... Anda comigo, quero-te dizer uma coisa, quero mostrar-te o que descobri para ti." "Ouves o que te digo?" "Agradeço-te por me deixares ficar contigo, percebes que é isso que te quero dizer?"
Permaneceste, foste ficando. Durante um ano, repetindo sem palavras todas estas perguntas e frases.
Alguma coisa não está bem, repara ele...
Não consegui controlar a tua ânsia de tudo, aventuraste-te fora do mundo que criei para ti. Volta, já te disse que para aí não podes ir. Não te prendo mas não queres que te magoes. Eu disse-te. Disse-te que ficasses e tu desta vez não me ouviste. O que te aconteceu? Voltei a ouvir o teu pedido mudo de ajuda, mas desta vez não te posso ajudar.
Tens de a deixar partir, disse ele....


Era uma vez... uma gatinha chamada Luizinha, nome de padrinhos Luís e Zinha. Era só uma gatinha disseram-me, mas não, para mim não era só uma gatinha era muito mais e esse mais não pode ser ententido por toda a gente. Foi atacada à uma semana por outro gato e ficou com uma ferida que foi aumentando e não fomos capazes de curar. Tive de ser eu a decidir a hora para ela morrer. E custou-me tanto, tanto...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Mais um desafio

Ah pois é, não se aguentaram e pediram mais um desafio.... então aqui vai:

Desta feita, pede-se que cada uma (os leitores tb podem participar, comentando este post)conte uma história "picante", seja ela verdadeira, seja "fetiche", fantasia, seja até uma cena dum filme.
Aqui a ideia é cada um "mostrar-se", nem que seja pela escolha feita e explicada, claro está!

Novo desafio

Enquanto esperamos pelo conto da Carliovsky (que provavelmente está com falta de tempo ou complicações com a net), vamos passar ao próximo desafio, que será proposto pela Raquel. Assim que houver oportunidade, a Carla postará a sua história, até porque, costuma dizer-se, last but not least!!! Raquel, vamos a isso!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

As coisas que se dizem neste país...

'Calinadas' de clientes TV Cabo

'A minha mulher não saiu de casa à espera que a viessem montar!' (Coitada, lá terá que ser o marido a fazer o servinho)


- 'O senhor tem computador?' - 'Tenho sim... tá ao fundo da escada! É o da água ou o da luz?' (É isso, contador, computador, acaba tudo em dor)


'Boa tarde! Era para activar o meu desqualificador.' ('Tá desqualificado, meu amigo, cartão vermelho para si)


'Bom dia! Eu quero ter o canal sexual em minha casa...' (...não conheço esse canal, deve ser novo)


'Era para saber se já tinham motivado a minha tvbox!' (Com essa calinada deve ter ficado bem motivada, a tvbox)


Uma cliente: 'Atão vieram cá montar a minha vizinha de cima e não me montaram a mim porquê???'(Ó senhora, é só um homem pra todo o bairro, há ainda muita dona de casa que quer que a montem também)


'Era só para dar o numero do pib para descontar no banco.' (Produto interno bruto???)


Uma cliente: 'Era só para dizer que já me montaram... Aliás, acabaram mesmo agora de me montar, e por acaso fiquei muito satisfeita... fiquei
mesmo, o que é foram-se logo embora sem me sintonizar os canais...' (Sem mencionar que nem escreveram uma carta, nem um telefonema, nada...ingratos)


'Era só para activar a TVSporting...'(E a TV Benfica, não?)


Uma cliente: 'Pois... realmente montaram-me lá em cima e depois montaram-me em baixo e quanto a isso tudo bem.
Só não gostei foi que me riscassem o chão todo!!!' (Andas no regabofe e depois queixas-te do chão, és muito fina!)


Querem mais? Aqui vai:

'Tenho a Superbox ligada'(Eu tenho é a Sagres)

'Queria desistir da playbox'(Preferes a Playstation?)

Clt brasileira: 'Já paguei a factura!'Operador: 'Onde efectuou?'Clt: 'Lá naquela loja como se chama, a sex-shop (payshop)...'(Fugiu-te a boca para a verdade!!)

Clt: 'Era só para confirmar se sempre me vêm cá montar amanhã...'(Tá descansada, rapariga)

Operador: 'Desligue e ligue a powerbox e já deve ficar a funcionar'
Clt: 'Já fiz e não dá nada!!'
Operador: 'Depois de ligar a powerbox, que luzes é que tem acesas?'
Clt: A da sala e a da cozinha, porquê, faz interferência?'(Tanto quanto sei, a única interferência que há É NA SUA CABEÇA!!!)

Era uma vez (outra, outra vez) …

Era uma vez uma história de amizades e de uma viagem memorável.

Num lindo monte, ali para os lados do barrocal algarvio, vivia uma gatinha branca e de muitas cores (viviam mais gatos, porque onde está um gato, estão mais gatos, mas esta é a que interessa para a nossa história). Curiosamente, pasme-se o leitor, a melhor amiga desta gata era uma vaca. Sim, uma vaquita montes de querida, toda às manchas pretas e brancas.
Juntas passavam os dias, bem juntinhas (a gatinha achava a vaquita um óptimo encosto e travesseiro), a ronronar e a ruminar.
Estes dias de idílio foram certa vez interrompidos por, nada mais, nada menos, o coaxar irritante de uma sapita, nova no monte, e metida à boa (gabava-se de ser toda verdinha, sem uma única mancha de outra cor). Ah e tal, e também canto muito bem (vangloriava-se a chata!) e toca de sinfonar.
Ora, quem conhece os gatos, sabe que eles precisam de muito descanso, e a nossa gatinha estava a ficar com insónias, palavra que nem existe no dicionário dos felinos!
Disse então à vaquita (que apesar de não se sentir incomodada pelo coaxar, estava solidária com a gatinha, porque é assim que as amizades funcionam, pelo menos as verdadeiras) que tinha um plano genial para espantar de vez a dita sapa e que essa noite iam as duas pregar-lhe um susto tal que a verdinha ia dar logo de frosques, para não mais voltar.
A artimanha, minuciosa e diabolicamente engendrada pela gata enquanto alisava os bigodes era genial (ou assim o pensava a felina). A gata atraía a sapa para fora do lago e a vaquita aparecia de repente e fingia que se sentava em cima da batráquia. Com a cagufa, a sapa dava um pinote tal que ia saltitar dali para fora, para sempre.
Mas não há plano, tão bem planeado, que não dê para o torto… Estava a gatinha a esgueirar-se sorrateiramente, para atrair a sapa e dar assim inicio ao ardil, quando se atravessa à sua frente uma lagartixa enorme, mesmo muito grande (ou assim parecia à nossa gatinha, que era extremamente corajosa, mas não podia ver nada que rastejasse, que lhe dava logo uma quebra de tensão). Naquele segundo em que se confrontaram, a gata percebeu que a pintalgada não ia ceder, mas também ela não podia ceder, porque estava paralisada. Que situação, que impasse, que suspanse… E eis que, do nada, surge, não outra que, a sapita que afugenta a ovípara.
Já podem imaginar o final desta história dentro da história. Passaram a ser as 3 inseparáveis. Imaginem o concerto que para lá não ia no monte… ronron muuu coax

Apesar de felizes no monte, as nossas amigas sentiam falta de uma grande aventura, repleta de muitas pequenas aventuras. Afinal, qualquer dia eram avós e não tinham histórias para contar aos netinhos, e depois, como é que eles adormeciam!?
Decidiram que o mundo era muito grande para elas, mas que Portugal estava de bom tamanho. Afinal, pensaram, todos devem conhecer o seu país, antes de partir para voos mais altos. E Portugal era tão bonito, tinham ouvido dizer…
Juntou-se ao grupo uma labradora negra, linda e divertida, que vivia numa quinta vizinha e vinha muitas vezes de visita.
Agora imaginem uma gata, uma vaca, uma sapa e uma cadela a percorrerem os caminhos de Portugal! Que lindo quadro! A vaca é a mais lenta de todas, mas as outras cansam-se muito mais depressa e precisam de mais descanso.
Mas o quadro ainda não está completo, só fica completo depois de uns dias de viagem, quando se junta ao grupo o elemento que vivia mais distante, uma panda, preta e branca, amoríssima e destemida.

Agora sim, o quadro está completo, juntas são invencíveis, cada uma com o seu poder, as aventuras podem começar…

Claro que agora não há tempo para relatar as peripécias deste grupo, que foram muitas e variadas e até perigosas! Uma coisa é certa, todas ficaram com inúmeras histórias para contar aos netinhos.

A minha nova paixão!!



Durante anos achei que não gostava de lentilhas. Afinal, estava enganada, ADORO lentilhas, acredito mesmo, neste momento, que não há comida melhor no mundo do que as lentilhas. Lentilhas com cenourinhas, lentilhas, lentilhas!!!!!!!!!!!!! Nham Nham!
:P

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Novo desafio...

Assim que a Verónica e a Carla escreverem o seu conto, será a vez da Raquel lançar um novo desafio. Miga, começa já a pôr a mioleira a trabalhar, ok??

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Era uma vez (outra vez)...

Era uma vez, numa cidadezinha à beira mar, duas moçoilas muito destrambelhadas, que adoravam fazer das suas. E a história que se segue é uma das muitas histórias passadas com elas; tinha que escolher uma, e, sem razão especial, esta foi a que decidi contar...

Estas duas amigas, como já foi dito antes, eram umas destrambelhadas de primeira, uma mais que outra, não vou dizer qual delas, até porque este conto não vai ter nomes envolvidos, mesmo ao estilo Saramaguista. Certa tarde de sexta-feira, acabadas as aulas, benditos fins de semana que demoravam sempre tanto tempo a chegar, por essas e por outras é que as moscas à sexta feira voam mais devagar; dizia eu, certa tarde, juntaram-se as duas, e muito sorrateiramente, foram ao supermercado mais recôndido possível, talvez não erre se disser que foi o Marrachinho, que ficava lá para o outro lado da ponte. Comprar o quê? Perguntar-se-à você, caro leitor, ou mesmo as próprias pessoas de quem reza a história, "o que teremos nós ido comprar nessa sexta feira, o quê, mas o QUÊÊÊÊ???" Eu digo...uma garrafita de Baileys, foi isso que compraram, a bela da garrafa de Baileys onde afogavam as mágoas de quando a quando.
Depois de jantar, com a garrafa de Baileys escondida no casaco, ou talvez dentro de uma das malas, lá foram as duas, sem mula nem Beast of Burden (era o nome das motoretas das mecitas), porque quem conduz não pode beber, e eram malucas, mas ainda tinham tino para tomar (algumas) decisões sensatas. E a butes, lá foram descendo a Avenida até ao Jardim. E no jardim abancaram. É claro que o que acontecia nas noites em que saím, elas e a garrafa, era mais do que apanhar uma simples bebedeira, mas era todo um ritual que obedecia a regras do arco da velha.
Inicialmente, esfregavam as mãos de contentamento, também podia ser do frio, e rigozijavam-se, tal qual duas poucochinhas, por estarem sentadas no banco de um jardim deserto (esqueci-me de mencionar que estes rituais eram feitos quase sempre nas noites frias de Inverno, daí o Baileys, para aquecer o corpo e a alma). E aí começam a matracar, atropelando-se uma à outra, as suas histórias que há dias lhes andava a fervilhar no cérebro, até àquele instante em que deitavam tudo cá para fora, historietas mirabolantes, contos de fadas dos tempos de hoje, misturando viagens com amores e desamores, onde eram protagonistas, sempre na pele de irresistíveis mulheres fatais.
Mas, nessa noite, antes de abrir a dita garrafa, uma delas lembrou-se que tinha mesmo que ir à casinha de banho, estava aflita, não podia esperar, e não ia começar a beber de bexiga cheia. "Mas onde queres ir fazer xixi a esta hora? Está tudo fechado, não aguentas mesmo??" responde a outra: "Tou aflitinha, vamos até às casas de banho públicas, tem mesmo que ser!"
E como o que tem que ser tem muita força, foi mesmo. Uma ficou à porta, a vigiar, e a "vítima" foi aliviar-se numa casa de banho com cheiro a ratazanas mortas, e que não era limpa, provavelmente, desde o dia que Camões perdeu o olho, mas tinha mesmo que ser.
De repente, a que vigiava deu um grito, pareceu-lhe ver alguém conhecido lá ao fundo da rua, e a pobre que estava na casa de banho, assustada e sem saber o que se passava, quis pôr-se a milhas, mas quanto mais depressa mais devagar, e as calças não queriam subir, e o fecho não queria fechar...e...e...e...
...E afinal não era ninguém, era apenas o nervoso miudinho a falar mais alto, o receio de ser apanhada, ali naquela rua escura, àquela hora da noite. Foi então que se lembrou: como a outra se demorava (coitada, toda atrapalhada com o fecho das calças), abriu a garrafa e empinou-a pela garganta abaixo, tal qual um bêbedo relaxado. Abro aqui um parêntese para dizer que a seguinte sequência de acontecimentos aconteceu TODA ao mesmo tempo:
Enquanto a boca de uma se enchia de Baileys numa golada gigante, a outra salta de dentro da casa de banho com as calças na mão, assustadíssima, a perguntar: "O que é que foi?? O que é que foi??" e para um desfecho em grande, dois polícias aparecem do nada (o que só prova que as moças não deviam estar a fazer muito alarde) e ficam embasbacados a olhar para aquela cena: Uma de calças na mão e outra de garrafa empinada, àquela hora da noite, num beco escuro e malcheiroso. Felizmente, com a mesma rapidez que surgiram do nada, assim desapareceram, e não tiveram a oportunidade de as ver ficar vermelhonas como um tomate.
E para quem pensa que elas ficaram de rabo entre as pernas, após terem sido apanhadas pela bófia naquelas tristes figuras, estão muito, mas muito enganados. A garrafa marchou toda nessa noite,a noite ficou para a história, como uma das mais divertidas de sempre e a história veio parar a este blog...foi uma vez...

LIÇÃO DE ECONOMIA

· Se tivesses comprado, há um ano, 1.000 Euros em acções da Nortel Networks, um dos gigantes da área de Telecomunicações, hoje terias 59 Euros.

· Se tivesses comprado, há um ano, 1.000 Euros em acções da LucentTecnologies, outro gigante da área das Telecomunicações, hoje terias 79 Euros.

· Agora, se tivesses comprado, há um ano, 1.000 Euros em cerveja Sagres, se as tivesses bebido todas e vendido as garrafas vazias, hoje terias 80 Euros.

Conclusão:No cenário económico actual, perdes menos dinheiro se ficares sentado a beber Sagres, o dia todo!

sábado, 11 de outubro de 2008

Era uma vez...

Era uma vez uma rapariga, ingénua (apesar de aparentar uma força como ninguém) mas sonhadora quanto baste.
Lutou contra tudo, contra todos, não havia ventos ou tempestades que a fizessem desistir do sonho, o seu sonho... o sonho que nem ela bem sabia o que seria, não tinha traços definidos, afinal, no fundo, só queria ser feliz.
Como ela tantas outras... umas que se renderam às adversidades "presenteadas" pela vida, mas ela, apesar de tudo, decidiu sempre seguir em frente.
Amores, sentimentos de felicidade, alegria, euforia mesmo por vezes, mas outras tantas, ou mais, sofreu desilusões, desamores(fortes o suficiente para se poder dizer que mais que muitos, mesmo não o sendo).
Superou, criou novos sonhos, criou coragem até para dizer que não, contrariando o coração, mas aprendeu que o coração muitas vezes só a levava a mais desilusões e seguiu a cabeça.
Aprendeu novamente a amar, o coração cedeu à razão e hoje é novamente feliz, mas com a consciência de uma felicidade sã, concreta, verdadeira.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O meu desafio...

Parece que é a minha vez de lançar um desafio, não é,Verónica? Aqui vai...


Proponho que cada uma de nós escreva uma história, sobre o que quer que seja: um sonho, uma desilusão, uma esperança, uma piada, um conto de fadas, um objectivo, só não vale plagiar, de resto...vale tudo!!


...Duas condições, apenas: tem que ter no mínimo cinco linhas (não existe um máximo,lol), e tem que começar por "Era uma vez"...


Assim sendo...

...

Salvador Dali


Porquê??

Porque não poderia ser mais ninguém, porque foi o único que me marcou desde sempre, pela sua obra e pela sua vida, impossível descrever o fascínio que exerce em mim...

Já tive a felicidade e o prazer de ver várias obras dele em diversas cidades como Paris, Londres, Madrid, Barcelona, Praga...mas foi em Figueras que soube, com toda a certeza, que aquele homem iria marcar para sempre a minha vida, no Teatro Museu Salvador Dali, onde vi o meu quadro de eleição...

Sebastião Salgado e Mafaldinha

Há tantas pessoas que admiramos por tantas coisas que se torna muito difícil nomear uma ou duas apenas, mais difícil ainda se torna quando ALGUÉM se antecipa e nomeia a primeira pessoa que me vem á cabeça, ou seja, o Nelson Mandela!! Mas adiante, o que não falta aí é gente e personagens e sendo assim aponto:

Sebastião Salgado
(fotógrafo brasileiro)


O homem por detrás da máquina fotográfica que consegue como ninguém captar numa imagem o que muitas das vezes os nossos olhos não vêm, para mim, um fotógrafo de almas e sentimentos!

Fotografa sempre a preto e branco e parece ter o poder divino de "disparar" no momento certo, vi pela primeira vez uma exposição dele à uns (muitos...) anos atrás em Lisboa no Parque das Nações, fiquei sidrada com o poder das imagens e fiquei com inveja, gostava de ter só um bocadinho deste talento imenso...



Mafalda
(revolucionária, crítica, humorista, activista...)

Mafalda é Mafalda, e todos nós temos um bocadinho de mafaldice, certo?

Mandela & Taylor

Mandela, por tudo. Um exemplo de humanidade digno de toda a admiração.
Se não tivesse lido um artigo sobre Elizabeth Taylor há uns dias, não me teria lembrado dela, mas li.
Segundo consta, Elizabeth está a morrer. Admiro-a pela vida intensa que teve, cheia de alegrias, mas também muitas tristezas. Por ser linda de morrer. E, acima de tudo, pelo seu enorme contributo para com a causa do HIV.

E os escolhidos são....

Optei por duas pessoas portuguesas...
Nunca fui muito de sonhos altos, e parece-me uma escolha mais "terrena" lol...
Actores foi o tema escolhido e aqui vão eles....
TCHARAMMMMM.......


Fernanda Serrano, porque para além da beleza (para mim das mulheres mais bonitas e sensuais de Portugal), demonstrou nesta fase da vida, ser uma lutadora e uma mulher de coragem!


Francisco Côrte-Real, porque simplesmente para mim é um "pão"!
já sei que para além de muitas outras criticas que possam vir a surgir, vão dizer que é puto, e blá, blá, blá, mas para mim o gajo é assim uma coisa..... :)